domingo, 27 de novembro de 2016

UMA AVALIAÇÃO ATUAL...E REAL... DOS MANANCIAIS ESTEVÃO MARINHO – MÃE D ÁGUA...CONSIDERANDO ELES SEPARADOS...COMO ESTÃO AGORA – NOVEMBRO DE 2016.






UMA AVALIAÇÃO ATUAL...E REAL...
DOS MANANCIAIS ESTEVÃO MARINHO – MÃE D ÁGUA...CONSIDERANDO ELES SEPARADOS...COMO ESTÃO AGORA – NOVEMBRO DE 2016.


O volume total do Açude Estevam Marinho mais conhecido como "Açude Curema Mãe D’água", quando foi construído, era de 1.358.000.000 m³, mas, no ano de 2013 estudos bati-métricos foram realizados, onde na oportunidade apontou uma perda brusca em sua capacidade.

Estudos comprovam que, um dos principais problemas responsável diretamente pela perca significativa de sua capacidade, está relacionado aos assoreamentos, esses causados pelos desmatamentos, principalmente das matas ciliares do rio e de seus afluentes formadores. Atualmente o manancial apresenta-se com a seguinte capacidade máxima 1.159.645.358 m³.

Capacidade do Açude Curema.....................................591.646.222 m³
Capacidade do Açude Mãe d'água.................................567.999.136 m³
Capacidade do complexo Curema/Mãe D’água........1.159.645.358 m³

Tudo isto abordado acima...Entretanto, ‘Eles(Curema- Mãe  D Água)...Separados como estão agora(Novembro de 2016...É outra ‘História’.
Diante disto, vamos a ‘Real Situação’.

Capacidade do Açude Curema.....................................280,00milões m³
Capacidade do Açude Mãe d'água................................232,60milhões


RESUMO DA ÓPERA:

UMA ANALOGIA DO AÇUDE DE CUREMA.

1 – Primeiramente analisaremos a situação do Manancial Estevam Marinho, conhecido popularmente, pelo a Açude de Curema...Na verdade, a sua ‘Bacia Hidráulica, possui uma capacidade máxima de somente, 280 milhões de metros cúbicos...E a  sua Cota de Soleira, é a Cota 237(cota do sangradouro)...E que em 25/11/2016...Se  encontrava na cota 218,29...Com o volume de  15,87(quinze milhões e oitenta sete mil)...Que corresponde um um percentual de   2,7%...Isto considerando o Açude de Curema...Supostamente, contido dentro ‘Sistema Curema –Mãe d Água...Que possui em sua capacidade máxima de 591 milhões.

2 – E se fossemos considerar... E que era para ser...O Açude de Curema...Na verdade, a sua ‘Bacia Hidráulica, possui uma capacidade máxima de somente, 280 milhões de metros cúbicos...E a  sua Cota de Soleira, é a Cota 237(cota do sangradouro)...E que seu volume atual em 25 de Novembro de 2016...É de  15,87(quinze milhões e oitenta sete mil)...Que corresponde um percentual de   2,7%...Sendo assim, o seu volume atual, seria de somente, 7,5milhões...Que dentro da nova ‘Curva-Chave’...Ou seja da nova ‘Planilha da Cota, Área,  Volume...Estaria na Cota215,23.




UMA ANALOGIA DA BARRAGEM DE MÃE DÁGUA.

1 – Já concernente, a situação da Barragem de Mãe D Água...Na verdade, a sua ‘Bacia Hidráulica, possui uma capacidade máxima de somente, 232,6 milhões de metros cúbicos...E a  sua Cota de Soleira, é a Cota 237(cota do sangradouro)...E que em 25/11/2016...Se encontrava na cota226,61...Com o volume de  40,940(quarenta milhões e novecentos e quarenta e nove mil)...Que corresponde um um percentual de   7,2%...Isto considerando a Barragem de Mãe D Água...Supostamente, contido dentro ‘Sistema Curema –Mãe d Água...Que possui em sua capacidade máxima de 232,6 milhões.

2 – E se fossemos considerar... E que era para ser...A Barragem de Mãe DÁgua ...Na verdade, a sua ‘Bacia Hidráulica, possui uma capacidade máxima de Mãe d Água...Que possui em sua capacidade máxima de 232,6 milhões.
E a  sua Cota de Soleira, é a Cota 237(cota do sangradouro)...E que seu volume atual em 25 de Novembro de 2016...É de  40.94(quarenta mihões)...Que corresponde um percentual de   7,2%...Sendo assim, o seu volume atual, seria de somente, 16,704 milhões...Que dentro da nova ‘Curva-Chave’...Ou seja da nova ‘Planilha da Cota, Área,  Volume...Estaria na Cota222,65.

Em suma, cabe a  Agência Nacional de Águas – ANA...Executar uma atualização da ‘Bateria de Jogo de Réguas Lininmétricas do complexo Curema-Mâe...O novo volume máximo de Curema-Mãe Dágua... Tanto do Sistema Curema-Mãe DÁgua interligados...E sobretudo, do Açude de Curema...E da Barragem de Mãe DÁgua...Separados, ou seja, ‘Individualizados’...

 

Diante disto...’Eis a Questão’!

 

Do Escritor,

Pedro Severino de Sousa.

                                  João Pessoa(PB), 26 de Novembro de 2016.

 





      





quinta-feira, 20 de outubro de 2016

PROPOSITURA DE CRIAÇÃO DO MUSEU DA HISTÓRIA DO COMPLEXO CUREMA-MÃE D ÁGUA.



PROPOSITURA DE CRIAÇÃO DO MUSEU DA HISTÓRIA  DO COMPLEXO CUREMA-MÃE D ÁGUA.

Essas fotos irão virarem 'Peças de Museu'...Na História da 'Crise Hídrica do Complexo Curema/Mãe D água.
Quem viver...verá...

No ensejo, sugiro a algum Vereador da Câmara Municipal de Coremas-PB...Que apresente um 'Projeto de Lei...Criando o 'Museu da 'História da Construção do "Complexo Curema/Mãe Dágua...

(https://www.youtube.com/watch?v=QLSP5v0MTvE)


E consequentemente, da História Deplorável'...Que o 'Açude de Curema...Sofreu ao longo da sua existência.


Do escritor...E Coremense.
Pedro Severino Faustino.
João Pessoa(PB), 20 de Outubro de 2016.

domingo, 25 de setembro de 2016

POR UMA JOÃO PESSOA SUSTENTAVEL

Proposta Pedro Severino Para Cidades Sustentáveis

 

PROPOSTA DE CIDADES SUSTENTÁVEIS...
DENTRO DE PRINCÍPIOS HIDROLÓGICOS...
DE DRENAGEM SUBTERRÂNEA...
NAS AVENIDAS, RUAS...
E LOGRADOUROS PÚBLICOS...
NO BRASIL.. E NO MUNDO.

Tomando como exemplo, do Projeto da PMJP (Prefeitura Municipal de João Pessoa)... Projeto de revitalização da avenida...
 (http://portalcorreio.uol.com.br/obj/11/166162.pdf)

'Nova Beira Rio' terá plantio de 900 árvores, novas calçadas... Propõe-se que se construam avenidas, ruas... E logradouros públicos... Com Drenagem Subterrânea... De Águas Pluviais (Águas de Chuvas).
Nas Cidades do Brasil... E do Mundo...Para que se tenham  ‘Cidades Sustentáveis’...


Diante disto, propusemos   ‘Revitalização de ‘Avenidas, Ruas...E Logradouros Publico no Brasil...E no Mundo.

No Brasil...

1 – João Pessoa
Revitalização da Avenida Epitácio Pessoa.

 2-  São Paulo
Revitalização da Avenida Paulista.

3-  Rio de Janeiro.
Revitalização da Avenida Brasil.

Revitalização de Avenidas...Pelo Mundo.

1-      Paris na França.


2 -      News York -EUA.

3-      Tóquio - Japão.


Em síntese, com a “Drenagem Subterrânea... De Águas Pluviais (Águas de Chuvas)”...Dessas Capitais, e tantas outras espalhadas pelo o Brasil...E pelo Mundo afora..., Certamente, serão ‘Cidades’...Hidrologicamente, ‘Sustentáveis’...

Do Escritor
Pedro Severino de Sousa
João Pessoa (PB), 10 de Julho de 2016.


quinta-feira, 22 de setembro de 2016

CRISE HÍDRICA X TRANSPOSIÇÃO (Além da queda, Coice)


CRISE HÍDRICA X TRANSPOSIÇÃO
(Além da queda, Coice)



CANDIDATO A VEREADOR PEDRO SEVERINO FALA SOBRE A CRISE HÍDRICA NA PARAÍBA .




COLAPSO DE ÁGUA EM CAMPINA GRANDE!!! 

Resolução prorroga até 2018 início da operação da transposição do São Francisco.

A Resolução nº 1.133/2016, da Agência Nacional de Águas (ANA), prorrogou até 26 de março de 2018 o prazo para início da operação do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF). O documento foi publicado no Diário Oficial da União no dia 21 de setembro. Trata-se da terceira prorrogação do prazo, dada a complexidade da obra.

O primeiro prazo foi fixado em 26 de setembro de 2011 pela Resolução ANA nº 411/2005, que outorgou ao Ministério da Integração Nacional o direito de uso de recursos hídricos para a execução da Transposição. A primeira alteração foi autorizada por meio da Resolução ANA nº 37/2012, que estendeu o prazo para 26 de setembro de 2014. A Resolução ANA nº 1202/2014 voltou a estender o prazo para 26 de setembro de 2016. 

A nova Resolução incorporou na outorga do PISF as 28 barragens que foram construídas ou aproveitadas nos canais nos Eixos Norte e Leste. São elas: Tucutu, Terra Nova, Serra do Livramento, Mangueira, Negreiros, Milagres, Jati, Atalho, Porcos, Cana Brava, Cipó, Boi I, Boi II, Morros, Boa Vista, Caiçara, Areias, Braúnas, Mandantes, Salgueiro, Muquém, Cacimba Nova, Bagres, Copiti, Moxotó, Barreiro, Campos e Barro Branco.

A Resolução ANA nº 1.133/2016 também atualizou a relação dos pontos onde o Ministério da Integração Nacional deverá instalar e manter em funcionamento equipamentos de monitoramento de níveis e vazões e dos pontos de entrega de água do PISF para os estados receptores, conforme listados na Resolução. No entanto, as retiradas de água ao longo dos canais e reservatórios para qualquer tipo de uso, que não estão listadas na Resolução, também deverão ser monitoradas por meio de procedimentos ou dispositivos que permitam medir os volumes retirados.
Texto:Raylton Alves - ASCOM/ANA

Do Escritor

Pedro Severino de Sousa.

João Pessoa(PB), 23 de Setembro de 2016.

PEDRO SEVERINO FALA SOBRE A CRISE DE RECURSOS HÍDRICOS DA PARAÍBA. Click aqui.





PEDRO SEVERINO FALA SOBRE A CRISE DE RECURSOS HÍDRICOS DA PARAÍBA. Click aqui.


CANDIDATO A VEREADOR PEDRO SEVERINO FALA SOBRE A CRISE HÍDRICA NA PARAÍBA
 

Candidato a vereador Pedro Severino.

Segundo o candidato a vereador, a seca é um fenômeno natural, mas, quando prolongada, causa graves problemas, como os que atingem o sertão. Há relatos de secas nordestinas desde o início da colonização portuguesa. Na estiagem de 1983, 1 milhão de sertanejos se inscreveram no programa de emergência para receber dinheiro para a construção de açudes. Muitos outros emigraram para o Sudeste e engrossaram o trabalho em construtoras e fábricas. A seca do ano passado causou a perda de 18 mil empregos na região.
Embora João Pessoa ainda não esteja incluída nesta crise hídrica, mas com o prolongamento da estiagem em breve poderemos ser afetados.
Segundo o vereador, não se constitui educação, saúde, e segurança sem água como tenta rotular alguns candidatos em seus discursos.

Do Escritor Pedro Severino de Sousa
João pessoa(PB), 22 de Setembro de 2016.


sábado, 9 de julho de 2016

PROPOSTA DE CIDADES SUSTENTAVEIS...


PROPOSTA DE CIDADES SUSTENTÁVEIS...
DENTRO DE PRINCÍPIOS HIDROLÓGICOS...
DE DRENAGEM SUBTERRÂNEA...
NAS AVENIDAS, RUAS...
E LOGRADOUROS PÚBLICOS...
NO BRASIL.. E NO MUNDO.

Tomando como exemplo, do Projeto da PMJP (Prefeitura Municipal de João Pessoa)... Projeto de revitalização da avenida...
 (http://portalcorreio.uol.com.br/obj/11/166162.pdf)

'Nova Beira Rio' terá plantio de 900 árvores, novas calçadas... Propõe-se que se construam avenidas, ruas... E logradouros públicos... Com Drenagem Subterrânea... De Águas Pluviais (Águas de Chuvas).
Nas Cidades do Brasil... E do Mundo...Para que se tenham  ‘Cidades Sustentáveis’...


Diante disto, propusemos   ‘Revitalização de ‘Avenidas, Ruas...E Logradouros Publico no Brasil...E no Mundo.

No Brasil...

1 – João Pessoa
Revitalização da Avenida Epitácio Pessoa.

 2-  São Paulo
Revitalização da Avenida Paulista.

3-  Rio de Janeiro.
Revitalização da Avenida Brasil.

Revitalização de Avenidas...Pelo Mundo.

1-      Paris na França.


2 -      News York -EUA.

3-      Tóquio - Japão.


Em síntese, com a “Drenagem Subterrânea... De Águas Pluviais (Águas de Chuvas)”...Dessas Capitais, e tantas outras espalhadas pelo o Brasil...E pelo Mundo afora..., Certamente, serão ‘Cidades’...Hidrologicamente, ‘Sustentáveis’...

Do Escritor
Pedro Severino de Sousa
João Pessoa (PB), 10 de Julho de 2016.





quinta-feira, 7 de julho de 2016

Intervenção em Barreira do Cabo Branco pode afetar praias adjacentes.



Intervenção em Barreira do Cabo Branco pode afetar praias adjacentes.

https://www.clickpb.com.br/paraiba/intervencao-em-barreira-do-cabo-branco-pode-afetar-praias-adjacentes-207212.html

Segundo especialista, o projeto da Prefeitura de João Pessoa, além de não resolver o problema de erosão da barreira, vai ainda provocar o avanço do mar nas praias laterais.

“As areias das praias de Cabo Branco, Penha, Tambaú e Manaíra podem desaparecer se o Projeto Executivo da Falésia do Cabo Branco apresentando pela Prefeitura de João Pessoa for implantado”, a afirmação é do especialista em recursos hídricos, Pedro Severino de Sousa. Segundo ele, o projeto, além de não resolver o problema de erosão da barreira, vai provocar o avanço do mar nas praias adjacentes.
O especialista explica que os gabiões previstos para serem construídos pelo projeto, não têm respaldo científico dentro da engenharia hidráulica marítima que impeça o avanço do mar. “Sou completamente contra esses gabiões, eles não irão conseguir impedir a erosão na barreira, e ainda vão causar efeitos colaterais, pois vão levar as correntes marítimas para as praias adjacentes, fazendo com que o mar avance nas praias”, ressaltou. 
Pedro afirma que o maior problema do local é a erosão de cima para baixo e não a causada pela corrente marítima. Um das propostas do especialista é fazer a drenagem pluvial da parte superior no bairro Altiplano e ainda reflorestamento do local. “Deveria se construir um parque ecológico no estilo paisagístico para proteger a falésia”, explica. 
Ele lembra que o problema que o projeto vai causar as demais praias de João Pessoa será parecido com o que acontecer em praias de Pernambuco. “Quando a água bate nos gabiões e não consegue passar, ela escorre para os lados, causando impactos em outros locais. Em João Pessoa, esses outros locais, serão as praias do Cabo Branco, da Penha e adjacentes”. 
Para o presidente do Grupo Amigos da Barreira, Ricardo Lombardi, o projeto da Prefeitura “é caro e não vai funcionar, só vai prejudicar mais a situação”. Ricardo afirma que com medidas mais simples, a barreira pode ser contida. “Vale lembrar, ainda, que o projeto vai descaracterizar o ambiente paisagístico do local, o que é proibido pelo estatuto da cidade fazer qualquer mudança sem antes realizar uma audiência pública específica sobre o assunto”, ressaltou. 
O projeto da Prefeitura prevê a construção de um caminho no mar para que os caminhões passem com as pedras que serão instaladas a 300 metros. Ricardo Lombardi afirma, que essa passagem, além de mudar o ambiente, vai prejudicar a navegação de pequenas embarcações, pois o caminho não será retirado depois. “Além de não ser eficiente, é impactante”, finalizou. 
Fonte: ClickPB.