sexta-feira, 8 de agosto de 2014

COMO RECARREGAR OS AQUÍFEROS (ÁGUAS SUBTERRÂNEAS)... DE TODOS OS ECOSSISTEMAS DA HIDROGEOLOGIA TERRESTRE?... (DENTRO DE UMA DIMENSÃO DE UMA ESCALA HIDROGEOLÓGICA GLOBAL).





VÍDEOS:

Água Subterrânea: Aquíferos





O Magnífico Aqüífero Guarani



COMO RECARREGAR OS AQUÍFEROS (ÁGUAS SUBTERRÂNEAS)... DE TODOS OS ECOSSISTEMAS DA HIDROGEOLOGIA TERRESTRE?... (DENTRO DE UMA DIMENSÃO DE UMA ESCALA HIDROGEOLÓGICA  GLOBAL).


Desde por volta de 6.000 a.C., alguns grupos humanos descobriram a técnica de produção de cerâmica pelo aquecimento da argila...Com a diversidade na produção, a especialização do trabalho e as novas funções na sociedade contribuíram para que algumas comunidades de agricultores se transformassem em vilas e cidades, constituindo o que alguns historiadores chamaram de Revolução Urbana.

E com o advento da Revolução Industrial que teve início no século XVIII, na Inglaterra, com a mecanização dos sistemas de produção. Enquanto na Idade Média o artesanato era a forma de produzir mais utilizada, na Idade Moderna tudo mudou. A burguesia industrial, ávida por maiores lucros, menores custos e produção acelerada, buscou alternativas para melhorar a produção de mercadorias. Também podemos apontar o crescimento populacional, que trouxe maior demanda de produtos e mercadorias...E finalmente, com a chegada da Tecnologia de Ponta, na atual... ‘Idade Contemporânea’, vem ainda mais, aumentando substancialmente, aglomeração ‘Urbanizacional  Mundial”.

Como se vê, com o contínuo crescimento da urbanização, ou seja, as matas, florestas e vegetação sendo substituída sucessivamente pelas “selvas de pedras”, isto provocam vulnerabilidade ao equilíbrio da natureza. Pois, diminui consideravelmente a evapotranspiração, a evaporação dos solos umedecidos, que são cobertos pelas construções civis. Decorrente disto diminui a umidade relativa do ar destes ecossistemas e, no decorrer do tempo, cria-se uma climatologia, tendenciando a ter um clima semelhante ao clima deserto, quente e árido.

É nitidamente percebível que as grandes metrópoles como São Paulo e Rio de Janeiro (Brasil), México (capital do México), Nova York (Estados Unidos), Londres (Inglaterra),Moscou(Rússia) e Tóquio (Japão) são verdadeiras “florestas de concreto armado”. E que estas referidas “selvas de pedra” vêm gradativamente degradando seus meios ambientes que, por vias de conseqüência, vêm cada vez mais ceifando sua biodiversidade. 

É óbvio que esta desenfreada urbanização acelera a desertificação destes ecossistemas onde estas metrópoles estão situadas e suas áreas circunvizinhas. Como efeito imediato deste quadro e desmatamento das matas e florestas para construção de cidades e seu crescimento, na sua grande maioria geram-se verdadeiros cortiços urbanos (inchamento urbanos), principalmente nos países subdesenvolvidos, decorrentes do êxodo rural. Esse êxodo rural motivado pela ilusão cultural da Revolução Industrial e basicamente por não existir uma política agrícola/fundiária para o homem do campo. Muitas metrópoles regionais, como Rio de Janeiro e São Paulo (Brasil) e México (capital do México) sofrem nas suas estações de chuvas com inundações e desabamentos e muitas vezes com mortes de inúmeras pessoas. Mais recentemente (dezembro, 1999) no país da Venezuela, mais precisamente em sua capital, Caracas,  ocorreram enchentes nunca vistas neste país, matando centenas de pessoas e desabrigando outras de milhares.

Portanto, estas enchentes e inundações nas grandes cidades são uma prova incontestável dessas ocupações territoriais inadequadas, ou seja, pela ausência de um planejamento Urbanizacional na ocupação do espaço geográfico e principalmente pela falta de uma política de ocupação obedecendo a critérios ecológicos.

Além,  destas megalópoles mundiais, que são verdadeiras “Selvas de Pedras”...Que, vem progressivamente,  “Impermeabilizando”, tanto para a ‘Infiltração’, como para a ‘Evapotranspiração’,   através de ‘Asfaltos e Pavimentos’... Todos  os solos de todos os ecossistemas do clima terrestre...Que obviamente, vem diminuir a infiltração para todos os aqüíferos(águas subterrâneas)...Que conseqüentemente, vem substancialmente, diminuir a ‘Evapotranspiração’ desses ecossistemas...Ocorrendo pelo visto, o aumento da Semi-áridez de todos os ecossistemas terrestre...Ocasionando dentro de um futuro próximo, uma diminuição acentuada, na formação de chuvas...De todos  os climas chuvosos...Quer seja ‘Tropical ou/e Subtropical...Não excedente, até mesmo, o clima amazônico...Pois, já existem ‘Estudos Hidrológicos...Que diz, que a “Amazônia”...Se tornará um grande Cerrado”.

Um exemplo patético de tudo isto... Ou seja, o aumento da Semi-áridez de todos os ecossistemas terrestre...É sobre a diminuição dos índices de chuvas na região sudeste do Brasil(Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro), principalmente no Estado de São Paulo, aonde o “Sistema Cantareira”, onde abastece 45% da grande Capital de São Paulo, em torno de 9(nove) milhões de pessoas...Que hoje(07.08.2014, Quinta feira)..Se encontra com somente 14,6% de seu volume morto...Se no decorrer desses meses subseqüente(Agosto, setembro e Outubro/2014)...Não houver uma recarga de chuvas suficiente... Certamente, entrará num provável  ‘Colapso Hídrico...

Então, diante do exposto acima, ‘Urge’ em caráter de urgência/urgentíssima que a “Geopolítica Nacional e Internacional”, através da ONU(Organização das Nações Unidas)...Elaborem, como por exemplo, que recarreguem os aqüíferos(águas subterrâneas)...De todos os ecossistemas da hidrogeologia terrestre(dentro de uma dimensão de uma escala hidrogeologia global).

Sendo assim, como assim?

Como por exemplo,  o “Brasil” de dimensão continental, maior detentor de água doce do planeta, através das bacias hidrográficas (bacia amazônica, bacia do S. Francisco, bacia do Tocantins Araguaia e bacia Platina), aonde são despejados milhares de metros ou talvez milhões de metros cilíndricos por segundo (m³/s) nos mares (oceano atlântico) das respectivas regiões, quase sem nenhum aproveitamento ao longo dos cursos de suas bacias hidrográficas pelos poderes públicos constituídos (Federal, Estadual e Municipais).

Como se sabe que o problema crucial para a humanidade no atual milênio, vai ser a falta (escassez) d'água e o Brasil ser o maior detentor deste liquido preciosos (ouro liquido) e que num futuro próximo a água vai ter mais valor que o petróleo...

Então, portanto, cabe ao governo brasileiro, traçar uma política de armazenamento desses recursos hídricos. Que estão sendo despejados, diuturnamente nos mares de suas respectivas regiões no intuito de termos a maior reserva de água doce do planeta, para quando formos procurados por outros países e com certeza vai ser... E certamente, seremos o maior exportador d'água doce do decorrer desse novo milênio...

Sendo assim, como fazer isto? No caso, especifico do Brasil...Dentro de uma premissa hidrológica...Sugere-se que, no período chuvoso...Nas principais bacias hidrográficas brasileira (bacia amazônica, bacia do S. Francisco, bacia do Tocantins Araguaia, bacia Rio Grande/Tietê/Paraná  e bacia Platina...Em seus respectivos período de enchentes...Nos seus ‘Pontos localizados’ de “Alagamentos”...Drenem as Águas dessas “Enchentes”...Para os seus respectivos ‘Lençóis freáticos’, ou melhor, as suas águas subterrâneas...Só assim, além de  se combater as enchentes nestas regiões... certamente, também,  melhorarão os níveis estáticos e dinâmicos dessas bacias hidrográficas brasileira, concernentes as suas águas...De seus aqüíferos,  mencionados acima...

Agora, entretanto, ao meu vê, “Se”, realmente, os movimentos magmáticos do interior da terra, decorrente do aumento( El Niño ) e/ou diminuição(La Niña) da intensidade do calor oriundo do seu magma…Aonde ocasiona as colisões das placas tectônicas, terremotos, maremotos, tsunamis, atividades vulcânicas submersas nos mares/oceanos e as atividades vulcânicas continentais…Vem intensificar a evaporação das águas dos mares e oceanos...E principalmente, a evapotranspiração das águas subterrâneas...E ‘Se’ essas águas subterrâneas “Estão” com os níveis estáticos e dinâmicos ‘Baixos’...Vem inexoravelmente, diminuírem  os níveis de chuvas...Em todos quadrantes da ‘Biosfera terrestre...

Em suma,  ‘Se” em algum dia no futuro próximo...Os poderes públicos constituídos (Federal, Estadual e Municipais)...No caso do Brasil...E os poderes da “Geopolítica Internacional”, através da ONU- Organização das Nações Unidas...Implementarem “Políticas Publicas”...De “Se” construírem “Obras Hídricas” , para recarregarem os aqüíferos(águas subterrâneas)...De todos os ecossistemas da hidrogeologia terrestre(dentro de uma dimensão de uma escala hidrogeologia global)...Só assim, ao meu vê, retomará a “Sustentabilidade da Geopolítica Mundial...E certamente, evitará um Holocausto Ambiental...Na “Sobrevivência da Humanidade”...Dentro do “Planeta Terra”...No resto, são conjecturas dos interesses  do “Capitalismo Selvagem...Ou seja, “Ávidos por Lucros Fácies”...Em detrimento da sobrevivência da própria “Humanidade”...

Entretanto, é meu ponto de vista.

Do Escrito ( Pedro Severino de Sousa  )do Livro:
Água: A Essência da Vida...
E suas Perspectivas para o Futuro.
João Pessoa (PB), 08 de Agosto de 2014.

         
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Revolução urbana

Revolução Industrial

Alta tecnologia

URBANIZAÇÃO E SUAS CCONSEQÜÊNCIAS
( livro : Água a Essência da vida)

Área e população dos continentes (modelo de seis continentes)

Ranking 2014: Demografia das maiores áreas urbanas do mundo, segundo Demographia.



Um Mundo Urbano.

Quase dez hectares são desmatados por minuto no mundo, avalia FAO

Aquífero Guarani

 

MPF QUER QUE ALCKMIN INICIE RACIONAMENTO DE ÁGUA JÁ

Os cerrados da Amazônia

DOMÍNIO DA BACIA DO AQUIFERO BEBERIBE  PERNAMBUCO-PARAÍBA


A GESTÃO DOS AQÜÍFEROS COSTEIROS DE PERNAMBUCO

Revista Água e Meio ambiente Subterrâneo

CAPA, CONTRA-CAPA E ORELHAS DO LIVRO: ÁGUA A ESSÊNCIA DA VIDA.


Aquífero do Recife corre risco de salinização

Perfuração indiscriminada ameaça aquíferos de PE

POTENCIALIDADES HÍDRICAS DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS DA REGIÃO SETENTRIONAL DO NORDESTE DO BRASIL

OS PROVÁVEIS IMPACTOS DA EXPLORAÇÃO DO PRÉ-SAL NO MEIO AMBIENTE.

PROPOSTA DE ESTUDO DA METEOROLOGIA... PELA SISMOLOGIA.



sábado, 2 de agosto de 2014

CAPA, CONTRA-CAPA E ORELHAS DO LIVRO: ÁGUA A ESSÊNCIA DA VIDA.




VÍDEOS SOBRE ÁGUA:

Planeta Água - Guilherme Arantes


CARTA ESCRITA NO ANO 2070







              CAPA, CONTRACAPA E ORELHAS DO LIVRO:
                               ÁGUA A ESSÊNCIA DA VIDA.


CONTRACAPA:

Água: É a essência da vida, caso não a existisse, não existiam vidas, quer seja: humana, animal e vegetal. Porém, como sabemos a água existe e de uma forma abundante. Pois, o elemento químico mais predominante do universo é o hidrogênio, o principal componente da composição da água (H2O).

Então, basta que qualquer corpo celeste esteja em orbita de um sol e receba: Luz, energia e calor, para ter uma atmosfera suficientemente para suscitar o ciclo da água e consequentemente ciclo da vida...

Enquanto que a natureza terrestre levou quatro bilhões de anos contínuos para formação de sua biosfera atual. Deve-se ressaltar que no transcurso desse longínquo tempo existiram alguns períodos glaciais, causados por grandes atividades vulcânicas e/ou por colisão de asteroides (cometas, e/ou meteoros) com a superfície da terra. Que de uma forma ou de outra, formava camadas de névoas que impediam a penetração dos raios solares para a superfície da terra. Gerando assim, os períodos glaciais... Isto, no entanto, foram fenômenos geofísicos e cosmológicos, determinante, portanto do equilíbrio da natureza.

Equilíbrio da natureza este que definiu a série fantástica de interações, mutações e evoluções de inúmeras espécies vegetais e animais, desde os primeiros seres primitivos unicelulares até chegar a espécie animal racional, que é a espécie humana.

Mas, paradoxalmente, a própria espécie humana, obra prima (produto acabado) desta natureza... E que, aliás, em poucos milênios certamente levará a destruição da biosfera terrestre e a destruição da própria humanidade.


ORELHAS: 

É inadmissível um pais, “Brasil” de dimensão continental, maior detentor de água doce do planeta, através das bacias hidrográficas (bacia amazônica, bacia do S. Francisco, bacia do Tocantins Araguaia e bacia Platina), aonde são despejados milhares de metros ou talvez milhões de metros cilíndricos por segundo (m³ /s) nos mares (oceano atlântico) das respectivas regiões, quase sem nenhum aproveitamento ao longo dos cursos de suas bacias hidrográficas pelos poderes públicos constituídos (federal, Estadual e Municipais).

 É inconcebíveis, que o Brasil um país gigante por natureza, com abundância de recurso hídrico tanto concernente ao lençol freático (águas subterrâneas), águas superficiais (rios, lagos, represas e açudes) e águas litorâneas (apesar de salgadas) que se estendem do Oiapoque ao Chuí, com o litoral de quase 8000 (oito mil) quilômetros de extensão. Entretanto, algumas metrópoles regionais, como, por exemplo: Recife PE (Veneza brasileira) banhada por dois rios: Capibaribe e Beberibe e a sua população está sofrendo com falta de água potável para seu consumo. Isto é, um descaso dos poderes públicos, um absurdo!

Como se sabe, que o problema crucial para a humanidade no próximo milênio, vai ser a falta (escassez) d'água e o Brasil ser o maior detentor deste liquido preciosos (ouro liquido) e que num futuro próximo a água vai ter mais valor que o petróleo... Então, portanto, cabe ao governo brasileiro, traçar uma politica de armazenamento desses recursos hídricos. Que estão sendo despejados, diuturnamente nos mares de suas respectivas regiões no intuito de termos a maior reserva de água doce do planeta, para quando formos procurados por outros países e com certeza vai ser e certamente, seremos o maior exportador d'água doce do próximo milênio... Para se atender os objetivos do projeto da politica de armazenamento dos nossos recursos hídricos, bastaria, somente que o governo brasileiro, interligassem as quatro grandes bacias hidrográficas brasileiras. Tendo a bacia Amazônica, como a bacia supridora dessas interligações... Pois, a Bacia Amazônica, despeja mais de 215.000m³, diuturnamente no oceano Atlântico.

Surge essa necessidade, até porque, segundo o estudo da NASA (Agencia Espacial Norte-americana), o rio S.Francisco, daqui a sessenta anos morrerá ou seja no ano 2060, se tonará um simples riacho.

Então, com a efetivação dessas sonhadas, porém exequíveis interligações das grandes bacias brasileiras. Salvaria a morte prematura do rio S. Francisco e viabilizaria de vez, sem sofrer solução de continuidade a transposição de suas águas para os sertões nordestinos brasileiros e ao mesmo tempo, atender a politica de gerenciamento dos recursos  hídricos brasileiros para os próximos milênios.... E, simultaneamente, atender a politica agrícola/fundiária no desenvolvimento autossustentável. Evitando desta forma o “Mar uso” da água. Que decorrente disto existe bolsões de misérias as margens do rio S. Francisco ao longo dos estados de: Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe. E no estado do Amazonas, quase totalmente banhado por água, Mas é gritante seu subdesenvolvimento.

Do Autor: 
Pedro Severino de Sousa.                     

quarta-feira, 25 de junho de 2014

O SISTEMA CANTAREIRA...A CADA DIA PIORA...



O SISTEMA CANTAREIRA...A CADA DIA PIORA...



 E o pior, entretanto, resta saber se a  ANA - Agência Nacional de Águas, Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo. SABESP... E o COMITÊ ANTICRISE DO SISTEMA CANTAREIRA...  “Não” estão considerando o “Assoreamento” deste Sistema Cantareira...Que existe desde do inicio da década de 70.

Diante disto, sabe-se que segundo estudo da Organização das Nações Unidas (ONU)...Considerando que a partir de estudo realizado pela Eletrobrás/IPH (1994) pode-se concluir que a perda anual de capacidade  de armazenamento dos reservatórios do nosso país é de aproximadamente 0,5% ou um pouco mais nestes anos: 
Carvalho, 1994).

Então considerado 0,5% por ano...Para o Sistema Cantareira...Por ter sido construído no inicio da década de 70... Assim sendo, considerado que o Sistema cantareira, já existe há 40 anos...
sendo assim, multiplica-se 40 x 0,5% = 21.5%......Ou seja, o sistema cantareira, possui dentro de um cenário otimista... Hoje(Junho de 2014), possui um assoreamento de 20%...

Se o Sistema Cantareira hoje(25.06.2014, Quarta Feira), o seu volume útil com o volume morto...Só contabiliza 21.5%...Imagine quando subtrair 20% de assoreamento...Restará somente...  (21.5% x 20%) = 4.3%...

Então 21.5% (-) = 4.3% %) = 17.2 %...Na  verdade o Sistema Cantareira hoje(25.06.2014, Quarta Feira...Só detêm somente 17.2 %...De sua capacidade máxima...Contabilizando com seu volume morto.

Em suma, entretanto,  considerando uma “Perda Diária” de somente 0.2%...Dentro de uma hipótese otimista...”O Sistema Cantareira”...Só restará com somente 6(seis) meses de “Vida Útil”.

Sabe-se que a “Estação Chuvosa na Região Sudeste(onde o Estado de São Paulo está contido) começa em Outubro...Entretanto, a demanda(vazão) para atender uma população de entorno de 9(nove) milhões...Que corresponde a 47% da capital de São Paulo...Repito esta demanda(vazão) é de 34(trinta e quatro) metros cúbicos por segundo.

Então diante disto...Pergunta-se...Será que com a estação chuvosa, que só começa em Outubro...Recuperar “Simultaneamente” na “Recarga” deste citado sistema Cantareira...E no suprimento do abastecimento humano, comercial , industrial.. Entre outras demanda desta colossal população?  


Entretanto, é meu ponto de vista (considerando essas ‘variáveis’ abordadas acima)...No resto, são “Meras Especulações”...Todavia, com uma ‘Visão Cientifica’...Vejo assim...E ‘Ponto final’.


Do Escritor
Pedro Severino de Sousa
João Pessoa(PB), 25 de Junho de 2014









segunda-feira, 2 de junho de 2014

ANA lança animações sobre água e gestão





ANA lança animações sobre água e gestão
http://www2.ana.gov.br/Paginas/imprensa/noticia.aspx?id_noticia=12482

A partir da próxima segunda-feira, 2 de junho, a Agência Nacional de Águas (ANA) lançará no seu canal de vídeos no YouTube 
(www.youtube.com/anagovbr).

A Lei das Águas do Brasil LET
http://youtu.be/T_CKTGs8oio

Aprenda a cuidar das àgua do Brasil
http://www.youtube.com/user/anagovbr

E redes sociais várias animações sobre a gestão de recursos hídricos. Com linguagem simples e didática, os vídeos explicam como funcionam os comitês de bacia, o que é uma bacia hidrográfica, o que diz a Lei das Águas, como é feita a medição de chuvas e rios, entre outros temas.

O material atende aos mais diversos públicos, como: estudantes, professores, membros de comitês de bacias hidrográficas e qualquer pessoa interessada em aprender os caminhos que as águas percorrem antes de chegar às torneiras, irrigar as plantações, serem usadas pela indústria ou qualquer setor da economia. Dessa forma, a ANA contribui para que todos possam cumprir seu papel cidadão de participar da gestão das águas dos rios brasileiros. O lançamento faz parte das celebrações da semana do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado anualmente em 5 de junho.

Segundo a Política Nacional de Recursos Hídricos, (Lei 9.433/07), também conhecida como Lei das Águas, o recurso é um bem de domínio público e sua gestão deve ser descentralizada e contar com a participação do Poder Público, dos usuários e das comunidades. A animação sobre a Lei das Águas, por exemplo, ensina como é Política Nacional de Recursos Hídricos e as diferenças de disponibilidade de água de cada região do País. Sobre os comitês de bacias, o material explica as funções deste tipo de colegiado, que atua como um “Parlamento das Águas”, e o que eles fazem. Também há um vídeo sobre o monitoramento dos rios e sobre o ciclo hidrológico, que consiste no caminho permanente que a água faz na natureza.

Três animações explicam alguns dos instrumentos de gestão previstos na Lei das Águas: outorga de direito de uso de recursos hídricos (autorização para uso da água); a cobrança pelo uso de recursos hídricos; os planos de bacia e o enquadramento dos corpos de água, que classifica as águas segundo a qualidade necessária para cada uso, como lazer, irrigação e abastecimento, por exemplo. Há também vídeos sobre segurança de barragens, o programa Produtor de Águas, de preservação de nascentes, baseado no moderno conceito de pagamento por serviços ambientais que tem sido adotado por muito países. Finalmente há uma animação exclusiva sobre o programa de cursos gratuitos da ANA.

Cursos com inscrições abertas:

As animações são parte do material didático projeto Água – Conhecimento para Gestão. Até 6 de junho, estarão abertas as inscrições para seis cursos gratuitos e a distância: Hidrologia Básica; Qualidade de Água em Rios e Reservatórios; Outorga de Direitos de Uso de Recursos Hídricos; Cobrança pelo Uso da Água; Planejamento, Manejo e Gestão; e Plano e Enquadramento de Recursos Hídricos. São 600 vagas em português e 30 em espanhol. As aulas começam em 23 de junho e terminam em datas diferentes, de acordo com o curso escolhido.

O projeto Água – Conhecimento para Gestão é um convênio entre a ANA, a Fundação Parque Tecnológico de Itaipu (FPTI) e Itaipu Binacional com objetivo de desenvolver ações de comunicação, mobilização e educação para a gestão de recursos hídricos no Brasil e países da América Latina. Há 36 cursos gratuitos semipresenciais e a distância disponíveis no catálogo. Cerca de 35 mil pessoas já participaram. Visite o site do programa para conhecer as opções.

Links para as animações:

A Lei das Águas - 

Comitês de Bacia - 

Conheça a Capacitação da ANA - 

Rede Hidrometeorológica - 

Ciclo da Água - 

A Cobrança pelo Uso da Água -

Plano e Enquadramento - 

Segurança de Barragens - 

Programa Produtor de Água -

Sala de Situação - 

PLAYLIST:
Texto:ASCOM/ANA

Sistema Nacional de 
Informações sobre 
Recursos Hídricos
Agência Nacional de Águas - ANA
Setor Policial, área 5, Quadra 3, Blocos "B","L","M" e "T".
Brasília-DF CEP: 70610-200 PABX: (61) 2109-5400 / (61) 2109-5252

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Globo Repórter visita um dos desertos mais bonitos do mundo.

  GLOBO REPÓRTER -  Edições07 fevereiro de 2014




Lagostas azuis produzidas no deserto têm melhor tipo de cálcio para o corpo humano


Buracos com mais de 20 metros de profundidade surgem com esvaziamento do Mar Morto


Entrevista Pedro Severino na TV Cabo Branco sobre o Livro 
ÁGUA A ESSÊNCIA DA VIDA
http://www.youtube.com/watch?v=iYTTPsF1yXM&feature=share&list=UUJxfe_LB-CHzryTbJ-msceA






Do Escritor do Livro: 
ÁGUA A ESSÊNCIA DA VIDA.
João Pessoa(PB), 08.02.2014