sábado, 9 de julho de 2016

PROPOSTA DE CIDADES SUSTENTAVEIS...


PROPOSTA DE CIDADES SUSTENTÁVEIS...
DENTRO DE PRINCÍPIOS HIDROLÓGICOS...
DE DRENAGEM SUBTERRÂNEA...
NAS AVENIDAS, RUAS...
E LOGRADOUROS PÚBLICOS...
NO BRASIL.. E NO MUNDO.

Tomando como exemplo, do Projeto da PMJP (Prefeitura Municipal de João Pessoa)... Projeto de revitalização da avenida...
 (http://portalcorreio.uol.com.br/obj/11/166162.pdf)

'Nova Beira Rio' terá plantio de 900 árvores, novas calçadas... Propõe-se que se construam avenidas, ruas... E logradouros públicos... Com Drenagem Subterrânea... De Águas Pluviais (Águas de Chuvas).
Nas Cidades do Brasil... E do Mundo...Para que se tenham  ‘Cidades Sustentáveis’...


Diante disto, propusemos   ‘Revitalização de ‘Avenidas, Ruas...E Logradouros Publico no Brasil...E no Mundo.

No Brasil...

1 – João Pessoa
Revitalização da Avenida Epitácio Pessoa.

 2-  São Paulo
Revitalização da Avenida Paulista.

3-  Rio de Janeiro.
Revitalização da Avenida Brasil.

Revitalização de Avenidas...Pelo Mundo.

1-      Paris na França.


2 -      News York -EUA.

3-      Tóquio - Japão.


Em síntese, com a “Drenagem Subterrânea... De Águas Pluviais (Águas de Chuvas)”...Dessas Capitais, e tantas outras espalhadas pelo o Brasil...E pelo Mundo afora..., Certamente, serão ‘Cidades’...Hidrologicamente, ‘Sustentáveis’...

Do Escritor
Pedro Severino de Sousa
João Pessoa (PB), 10 de Julho de 2016.





quinta-feira, 7 de julho de 2016

Intervenção em Barreira do Cabo Branco pode afetar praias adjacentes.



Intervenção em Barreira do Cabo Branco pode afetar praias adjacentes.

https://www.clickpb.com.br/paraiba/intervencao-em-barreira-do-cabo-branco-pode-afetar-praias-adjacentes-207212.html

Segundo especialista, o projeto da Prefeitura de João Pessoa, além de não resolver o problema de erosão da barreira, vai ainda provocar o avanço do mar nas praias laterais.

“As areias das praias de Cabo Branco, Penha, Tambaú e Manaíra podem desaparecer se o Projeto Executivo da Falésia do Cabo Branco apresentando pela Prefeitura de João Pessoa for implantado”, a afirmação é do especialista em recursos hídricos, Pedro Severino de Sousa. Segundo ele, o projeto, além de não resolver o problema de erosão da barreira, vai provocar o avanço do mar nas praias adjacentes.
O especialista explica que os gabiões previstos para serem construídos pelo projeto, não têm respaldo científico dentro da engenharia hidráulica marítima que impeça o avanço do mar. “Sou completamente contra esses gabiões, eles não irão conseguir impedir a erosão na barreira, e ainda vão causar efeitos colaterais, pois vão levar as correntes marítimas para as praias adjacentes, fazendo com que o mar avance nas praias”, ressaltou. 
Pedro afirma que o maior problema do local é a erosão de cima para baixo e não a causada pela corrente marítima. Um das propostas do especialista é fazer a drenagem pluvial da parte superior no bairro Altiplano e ainda reflorestamento do local. “Deveria se construir um parque ecológico no estilo paisagístico para proteger a falésia”, explica. 
Ele lembra que o problema que o projeto vai causar as demais praias de João Pessoa será parecido com o que acontecer em praias de Pernambuco. “Quando a água bate nos gabiões e não consegue passar, ela escorre para os lados, causando impactos em outros locais. Em João Pessoa, esses outros locais, serão as praias do Cabo Branco, da Penha e adjacentes”. 
Para o presidente do Grupo Amigos da Barreira, Ricardo Lombardi, o projeto da Prefeitura “é caro e não vai funcionar, só vai prejudicar mais a situação”. Ricardo afirma que com medidas mais simples, a barreira pode ser contida. “Vale lembrar, ainda, que o projeto vai descaracterizar o ambiente paisagístico do local, o que é proibido pelo estatuto da cidade fazer qualquer mudança sem antes realizar uma audiência pública específica sobre o assunto”, ressaltou. 
O projeto da Prefeitura prevê a construção de um caminho no mar para que os caminhões passem com as pedras que serão instaladas a 300 metros. Ricardo Lombardi afirma, que essa passagem, além de mudar o ambiente, vai prejudicar a navegação de pequenas embarcações, pois o caminho não será retirado depois. “Além de não ser eficiente, é impactante”, finalizou. 
Fonte: ClickPB.

PROPOSTA PARA PROTEÇÃO DA FALÉSIA DO CABO BRANCO... (CRIANDO O PARQUE ECOLÓGICO PONTO DO SEIXAS).



PROPOSTA PARA PROTEÇÃO DA FALÉSIA DO CABO BRANCO...

(CRIANDO O PARQUE ECOLÓGICO PONTO DO SEIXAS).


É inconcebível, que o Projeto Executivo da Falésia do Cabo Branco, Segundo fonte extra-oficial, apresentado pela PMJP (Prefeitura Municipal de João Pessoa), deste do dia:09.03.2015, Segunda Feira)...Que o ‘Orçamento desta Obra da Falésia do Cabo Branco...Importe em 78 milhões...Dos quais somente 12 milhões...Serão para Drenagens, reflorestamento...E outras obras afins...Na sua parte continental.

Enquanto que, os outros 66milhões... Seria para os  Arrecifes, Quebra Mares, ou Gabiões), como queiram chamarem”... Ao meu vê, não encontrarão respaldo cientifico, dentro da Engenharia hidráulica marítima, que se coadune com os parâmetros da engenharia de obras marítimas para conter o avanço do mar...Sem “Efeito Colateral”...Levando as Correntes Marítimas para as ‘Praias Adjacentes(Seixas, Cabo Branco, entre outras)...Invés de proteger a Falésia do Cabo Branco.

Que invés de se construírem um  (Arrecifes, Quebra Mares, ou Gabiões), como queiram chamarem”... Se deveria construir um “ Muro de Contenção” ... Da Barreira da Falésia do Cabo Branco, recompondo sua parte já perdida, com material (solo) idêntico ou similar, isto é, com índices físicos(granulométrica e plasticidade), que se assemelham com o já existente, com seu devido reflorestamento.

Por outro lado, este suposto “Muro de Contenção”- (Tem o intuito de "Proteger a Falésia do Cabo Branco"...Dando a 'Ela", um 'Visão Artística', ou melhor, um 'OLHAR ARTÍSTICO'... ), ou seja, na sua parte frontal, se abriria, um grande “Painel Artístico”, que possibilitasse aos “Artista Plásticos”, Paraibanos e Brasileiros, a desenvolverem os seus trabalhos artísticos. Vocacionando, o Cabo Branco, de fato, com gloria e honra, “ O Ponto mais Oriental das Américas”. “ Aonde o Sol nasce Primeiro”.

Diante desses pressupostos (propostas)... Seria interessante que os Poderes Públicos Constituídos (Municipal, Estadual e Federal)...Juntassem “Esforços”...No sentido de  “Provocarem”...Junto a ONU(Organização das Nações Unidas), O “Tombamento”Do “Ponto do Seixas”... O Ponto mais Oriental das Américas, Como “Patrimônio da Humanidade”.

Pois, o “Ponto do Seixas”...”Geograficamente Falando”...Não só pertence a João Pessoa, Paraíba, Nordeste, Brasil...Pertence também, as “Américas”(do Sul ou do Norte)...E por está contido dentro do Hemisfério Sul...E ser o Ponto do Seixas...O Ponto mais Oriental das Américas...E dos “Ameríndios”.


Só assim, se construiria o “Parque Ecológico Ponto do Seixas"... No ‘Estilo Paisagístico’...De Burle Marx...Protegendo desta forma, a ‘’FALÉSIA DO CABO BRANCO”.

Do Escritor,
Pedro Severino de Sousa.
João Pessoa(PB), 06 de Julho de 2016.




segunda-feira, 4 de julho de 2016

Barreira do Cabo Branco: Sudema libera licença prévia para prefeitura de JP fazer obra.


Barreira do Cabo Branco: Sudema libera licença prévia para prefeitura de JP fazer obra.

http://g1.globo.com/pb/paraiba/bom-dia-pb/videos/t/edicoes/v/barreira-do-cabo-branco-sudema-libera-licenca-previa-para-prefeitura-de-jp-fazer-obra/5130085/


Vídeo Correlado...

Pedro Severino em Audiência Pública sobre a Barreira do Cabo Branco.


PROPOSTA PARA PROTEÇÃO DA FALÉSIA DO CABO BRANCO... CONVERGINDO COM A CRIAÇÃO DO PARQUE ECOLÓGICO PONTO DO SEIXAS.


MINHA PROPOSTA...

Diante disto, em suma, que invés de se construir um “Arrecife”... Se devia construir um “ Muro de Contenção” ... Da Barreira da Falésia do Cabo Branco, recompondo sua parte já perdida, com material (solo) idêntico ou similar, isto é, com índices físicos(granulométrica e plasticidade), que se assemelham com o já existente, com seu devido reflorestamento.

Por outro lado, este suposto “Muro de Contenção”- (Tem o intuito de "Proteger a Falésia do Cabo Branco"...Dando a 'Ela", um 'Visão Artística', ou melhor, um 'OLHAR ARTÍSTICO'... ), ou seja, na sua parte frontal, se abriria, um grande “Painel Artístico”, que possibilitasse aos “Artista Plásticos”, Paraibanos e Brasileiros, a desenvolverem os seus trabalhos artísticos...

Vocacionando, o Cabo Branco, de fato, com gloria e honra, “ O Ponto mais Oriental das Américas”. “ Aonde o Sol nasce Primeiro”...

Do Escritor Pedro Severino de Sousa
João Pessoa(PB), 04 de Julho de 2016.

domingo, 3 de julho de 2016

Especialista prevê dificuldades para operacionalização da transposição na Paraíba.


Especialista prevê dificuldades para operacionalização da transposição na Paraíba.


https://www.clickpb.com.br/paraiba/especialista-preve-dificuldades-para-operacionalizacao-da-transposicao-na-paraiba-206951.html

VÍDEOS CORRELATOS A TRANSPOSIÇÃO.

A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO ENTREVISTADO PEDRO SEVERINO.







COLAPSO DE ÁGUA EM CAMPINA GRANDE!!!


De acordo com o 2º secretário do Comitê Pro Transposição, o especialista em recursos hídricos, Pedro Severino de Sousa, a inauguração operacional da transposição é incerta.

Apesar da entrega da obra de transposição estar prevista para acontecer em março de 2017, as águas do Rio São Francisco não deverão chegar à Paraíba nesse mesmo período, segundo especialista. Com mais de 3 mil quilômetros de extensão, o rio passou por maus tratos nós últimos cinco anos com a escassez de chuvas e a intervenção humana, chegando ao menor nível da capacidade de água da sua história.
De acordo com o 2º secretário do Comitê Pro Transposição, o especialista em recursos hídricos, Pedro Severino de Sousa, a inauguração operacional da transposição é incerta. Um problema que pode influenciar no abastecimento é que o rio é responsável pela geração de energia elétrica de todo o Nordeste.
“Os últimos cinco anos no semiárido do Nordeste e Norte foram tempos de secas. E o Rio São Francisco desde suas nascentes na Serra da Canastra, no Centro do Estado de Minas Gerais, veio escassear o seu maior volume caudal, o que causou a diminuição substancial nas recargas das Barragens Hidroelétricas de Três Marias (MG), Sobradinho (BA), Lago Itaparica, Paulo Afonso (BA e Xingó (AL)”, disse Pedro.
O especialista explica que diante do “Stress Hidroelétrico”, que segundo ele, está chegando ao colapso com o fenômeno do La Ninã para os anos de 2016 e 2017 no país, as águas do São Francisco não conseguirão chegar aos destinos traçados pela transposição devido ao baixo volume.  
"Para se ter uma ideia, no mês de novembro do ano passado, a Barragem Sobradinho atingiu a 1% do seu volume útil. A Chesf, só não entrou em um colapso, por conta que o Sistema Elétrico Brasileiro ser interligado e quem suplementava a demanda de consumo de energia na Região Nordeste era a Eletronorte, através da Usina de Tucuruí”, exemplificou o especialista. 
Ainda segundo Pedro Severino de Sousa, com as previsões climáticas para o ano de 2017 de ser de chuvas escassas, “presume-se que o Rio não recarregará o suficiente para os reservatórios do Sistema Chesf para geração de energia, e tal pouco, para captar e bombear águas para transposição”, afirmou.
FONTE: CLICKPB.


sexta-feira, 24 de junho de 2016

Estudioso defende drenos para conter os alagamentos.


Estudioso defende drenos para conter os alagamentos.

http://www.maispb.com.br/184953/estudioso-apresenta-solucao-para-acabar-alagamento-na-cidade.html

Estudioso na área de recursos hídricos, o técnico em estradas do Departamento de Estradas e Rodagem  (DER), Pedro Severino, defendeu a utilização de drenos subterrâneos nas cidades para absolver água da chuva.
De acordo com Pedro Severino, essa técnica comumente utilizada nas rodovias iria fazer com que ás águas pluviais não se concentrassem nas vias causando alagamentos.
Para Pedro Severino, a mesma técnica também poderia ser aplicada nos prédios residenciais.
Confira áudio
Audio Player
MaisPB.
Do Escritor
Pedro severino de Sousa.
João Pessoa(PB), 25 de Junho de 2016.






quarta-feira, 22 de junho de 2016

PROPOSTA PARA PROTEÇÃO DA FALÉSIA DO CABO BRANCO.

                           

PROPOSTA PARA PROTEÇÃO DA FALÉSIA DO CABO BRANCO.



Pedro Severino em Audiência Pública sobre a Barreira do Cabo Branco



Projeto de intervenção da barreira do Cabo Branco é discutido em João Pessoa.
http://g1.globo.com/pb/paraiba/bom-dia-pb/videos/t/edicoes/v/projeto-de-intervencao-da-barreira-do-cabo-branco-e-discutido-em-joao-pessoa/43519

 A imprensa Paraibana de modo geral, vem noticiando, que a Prefeitura Municipal de João Pessoa, através da Seman (Secretaria do Meio Ambiente), estar fazendo estudo de um Projeto de Engenharia Oceânica, aonde irão estudarem a deriva das correntes marítimas, estudo batimetrico oceânico deste especifico ponto, entre outros estudos da Engenharia oceânica, para que se viabilizem construções de arrecifes artificiais Para proteção da falésia do Cabo Branco( o ponto mais oriental das Américas) do desgaste de abrasão, que o ponto dos Seixas, vem sofrendo, ao longo dos tempos.


Segundo especulação jornalística, este mencionado estudo, balizará o projeto adequado, ou melhor, a construções de arrecifes, que impeçam o avanço das correntes marítimas das marés altas...Impedindo desta forma, o deslizamento secular, permanente e constante da barreira do farol do Cabo Branco...Que se continuar no ritmo que vai, em poucos anos ou décadas, o Cabo Branco da Ponta do Seixas, se tornará, simplesmente, num Cabedelo afogado pelas ondas do mar.


Agora, entretanto, este referido “Estudo”, entre inúmeros outros, ao meu vê, não encontrarão respaldo cientifico, dentro da Engenharia hidráulica marítima, que se coadune com os parâmetros da engenharia de obras marítimas para conter o avanço do mar...Sem “Efeito Colateral”...Pois, este suposto “Arrecife”, será mais um “Corpo Estranho”, construído em cima de uma barragem submersa, suporte rochoso, que outrora, a ponta do Cabo Branco, se sustentava em cima dela... Antes, da erosão desta falésia do Cabo Branco, aonde outrora era mais avançada.

Certamente, o estudo batimetrico, identificará esta barragem submersa, que nas “Grandes Marés”(Fev/Mar e Ago/Set), influenciam as “Ressacas” nas praias do Cabo Branco E da praia do Seixas...


Obviamente, com a construção deste propalado “Arrecife”potencializará mais ainda, as ressacas das marés altas, nestes citadas praias e meses...Além do mais, se vendo, pelo lado Político, será uma “obra Afogada”. Não trazendo dividendo Político. Para quem o construir.

Diante disto, em suma, que invés de se construir um “Arrecife”... Se devia construir um “ Muro de Contenção”...Da Barreira da Falésia do Cabo Branco, recompondo sua parte já perdida, com material(solo) idêntico ou similar, isto é, com índices físicos(granulométrica e plasticidade), que se assemelham com o já existente, com seu devido reflorestamento.


Por outro lado, este suposto “Muro de Contenção”, ou seja, na sua parte frontal, se
abriria, um grande “Painel Artístico”, que possibilitasse os “Artista Plásticos”, Paraibanos e Brasileiros, a desenvolverem os seus trabalhos artísticos...Vocacionando, o Cabo Branco, de fato, com gloria e honra, “ O Ponto mais Oriental das Américas”. “ Aonde o Sol nasce Primeiro”.


UMA REFLEXÃO SOBRE A MATÉRIA:

ESTAÇÃO CIÊNCIA CABO BRANCO ESTÁ COM RACHADURAS


Não precisa ser um especialista (Engenheiro Civil e/ou Geológico)...Para ser entender, que as rachaduras ora apresentadas na Estação Ciência Cabo Branco...Ao meu vê, são mais de ordem geológico, do que mal dimensiomento de cálculos estruturais... A boca maldita, especulam que, houve até mesmo, superfaturamento desta “Obra de Arte”(Estação Ciência Cabo Branco).

Agora, entretanto, estudando o comportamento “Geofísico” das “Falésias Costeiras”...Principalmente e  as falésias de formação geológicas com solos lateríticos... E não de formação geológica cristalinas, ou seja, de formações rochosas... São susceptíveis, a permanentes impercebíveis abalos sísmicos... Impercebíveis a olho nu... Entretanto visíveis, através de sismógrafos... Partindo desses pressupostos, imagino, que a Falésia do Cabo Branco, sofre com as “Intempéries”...Desses supostos abalos sísmicos...Para se melhor, compreender isto...Vamos voltar no Túnel do Tempo.

Provavelmente, a milhares ou milhões de anos atrás...A falésia do Cabo Branco...Tinha um topografia mais Oriental do que a de hoje...Ou seja, tinha uma maior porção de terra...Que avançava ao oceano atlântico...Entretanto, as intempéries da natureza...Ao logo desses milhares ou milhões de anos atrás...Degradou a tal ponto...A falésia do Cabo Branco...Ao ponto que se encontra hoje...Entretanto, isto que dizer que, com o recuo da barreira do Cabo Branco...A crosta ou plataforma, que a parte erodida da falésia do Cabo Branco que supostamente, estava sobreposta...Naturalmente, perdeu seu equilíbrio hidrostático...Ficando a Barreira do Cabo Branco atual...A mercê do “Vai e Vem” das marés “Alta Baixa” do mar...Que por via de conseqüência...Ocasionando a porção de terra da atual Falésia do Cabo Branco... A repetitivos movimentos hidrodinâmicos e hidrostáticos, da descarga e sobrecarga das marés oceânicas...


Que conseqüentemente, suscitando a Falésia do Cabo Branco... Diariamente, a sucessivos impercebíveis (pequeníssimos) abalos sísmicos... Em suma, é providencial em caráter de urgência urgentíssima... Se devia construir um “ Muro de Contenção” Da Barreira da Falésia do Cabo Branco, recompondo sua parte já perdida, com material(solo) idêntico ou similar, isto é, com índices físicos(granulométrica e plasticidade), que se assemelham com o já existente, com seu devido reflorestamento.


Por outro lado, este suposto “Muro de Contenção”, ou seja, na sua parte frontal, se abriria, um grande “Painel Artístico”, que possibilitasse os “Artista Plásticos”, Paraibanos e Brasileiros, a desenvolverem os seus trabalhos artísticos...Vocacionando, o Cabo Branco, de fato, com gloria e honra, “ O Ponto mais Oriental das Américas”. “ Aonde o Sol nasce Primeiro”.


DO ESCRITOR DO LIVRO
ÁGUA: A ESSÊNCIA DA VIDA
PEDRO SEVERINO DE SOUSA

JOÃO PESSOA (PB), 12.04.2009