quarta-feira, 12 de novembro de 2014

CAPA, CONTRACAPA E ORELHAS DO LIVRO: ÁGUA A ESSÊNCIA DA VIDA.






VÍDEOS SOBRE ÁGUA:

Entrevista Pedro Severino na TV Cabo Branco sobre o Livro Água - Essência da Vida:



Entrevista na TV Cidade de João Pessoa sobre O livro "Água: A Essência da Vida"


Planeta Água - Guilherme Arantes


CARTA ESCRITA NO ANO 2070







              CAPA, CONTRACAPA E ORELHAS DO LIVRO:
                               ÁGUA A ESSÊNCIA DA VIDA.


CONTRACAPA:

Água: É a essência da vida, caso não a existisse, não existiam vidas, quer seja: humana, animal e vegetal. Porém, como sabemos a água existe e de uma forma abundante. Pois, o elemento químico mais predominante do universo é o hidrogênio, o principal componente da composição da água (H2O).

Então, basta que qualquer corpo celeste esteja em orbita de um sol e receba: Luz, energia e calor, para ter uma atmosfera suficientemente para suscitar o ciclo da água e consequentemente ciclo da vida...

Enquanto que a natureza terrestre levou quatro bilhões de anos contínuos para formação de sua biosfera atual. Deve-se ressaltar que no transcurso desse longínquo tempo existiram alguns períodos glaciais, causados por grandes atividades vulcânicas e/ou por colisão de asteroides (cometas, e/ou meteoros) com a superfície da terra. Que de uma forma ou de outra, formava camadas de névoas que impediam a penetração dos raios solares para a superfície da terra. Gerando assim, os períodos glaciais... Isto, no entanto, foram fenômenos geofísicos e cosmológicos, determinante, portanto do equilíbrio da natureza.

Equilíbrio da natureza este que definiu a série fantástica de interações, mutações e evoluções de inúmeras espécies vegetais e animais, desde os primeiros seres primitivos unicelulares até chegar a espécie animal racional, que é a espécie humana.

Mas, paradoxalmente, a própria espécie humana, obra prima (produto acabado) desta natureza... E que, aliás, em poucos milênios certamente levará a destruição da biosfera terrestre e a destruição da própria humanidade.


ORELHAS: 

É inadmissível um pais, “Brasil” de dimensão continental, maior detentor de água doce do planeta, através das bacias hidrográficas (bacia amazônica, bacia do S. Francisco, bacia do Tocantins Araguaia e bacia Platina), aonde são despejados milhares de metros ou talvez milhões de metros cilíndricos por segundo (m³ /s) nos mares (oceano atlântico) das respectivas regiões, quase sem nenhum aproveitamento ao longo dos cursos de suas bacias hidrográficas pelos poderes públicos constituídos (federal, Estadual e Municipais).

 É inconcebíveis, que o Brasil um país gigante por natureza, com abundância de recurso hídrico tanto concernente ao lençol freático (águas subterrâneas), águas superficiais (rios, lagos, represas e açudes) e águas litorâneas (apesar de salgadas) que se estendem do Oiapoque ao Chuí, com o litoral de quase 8000 (oito mil) quilômetros de extensão. Entretanto, algumas metrópoles regionais, como, por exemplo: Recife PE (Veneza brasileira) banhada por dois rios: Capibaribe e Beberibe e a sua população está sofrendo com falta de água potável para seu consumo. Isto é, um descaso dos poderes públicos, um absurdo!

Como se sabe, que o problema crucial para a humanidade no próximo milênio, vai ser a falta (escassez) d'água e o Brasil ser o maior detentor deste liquido preciosos (ouro liquido) e que num futuro próximo a água vai ter mais valor que o petróleo... 

Então, portanto, cabe ao governo brasileiro, traçar uma politica de armazenamento desses recursos hídricos. Que estão sendo despejados, diuturnamente nos mares de suas respectivas regiões no intuito de termos a maior reserva de água doce do planeta, para quando formos procurados por outros países e com certeza vai ser e certamente, seremos o maior exportador d'água doce do próximo milênio... 

Para se atender os objetivos do projeto da politica de armazenamento dos nossos recursos hídricos, bastaria, somente que o governo brasileiro, interligassem as quatro grandes bacias hidrográficas brasileiras. Tendo a bacia Amazônica, como a bacia supridora dessas interligações... Pois, a Bacia Amazônica, despeja mais de 215.000m³, diuturnamente no oceano Atlântico.

Surge essa necessidade, até porque, segundo o estudo da NASA (Agencia Espacial Norte-americana), o rio S.Francisco, daqui a sessenta anos morrerá ou seja no ano 2060, se tonará um simples riacho.

Então, com a efetivação dessas sonhadas, porém exequíveis interligações das grandes bacias brasileiras. Salvaria a morte prematura do rio S. Francisco e viabilizaria de vez, sem sofrer solução de continuidade a transposição de suas águas para os sertões nordestinos brasileiros e ao mesmo tempo, atender a politica de gerenciamento dos recursos  hídricos brasileiros para os próximos milênios.... E, simultaneamente, atender a politica agrícola/fundiária no desenvolvimento autossustentável. Evitando desta forma o “Mar uso” da água. Que decorrente disto existe bolsões de misérias as margens do rio S. Francisco ao longo dos estados de: Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe. E no estado do Amazonas, quase totalmente banhado por água, Mas é gritante seu subdesenvolvimento.

Do Autor: 
Pedro Severino de Sousa.                     

Um comentário:

Fabiano Catão Córdula Ouriques Dias disse...

Há um PROJETO DE LEI no congresso:
PL 2351/2011 que amplia a área de atuação da CODEVASF para a PARAÍBA e outros estados.
Este PL está a um passo de ser aprovado. Depende do Presidente da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA. O parecer do Relator já foi favorável. BASTA O PL ENTRAR EM PAUTA para ser aprovado por unanimidade e vai direto para a DILMA sancionar. VAI SER UM AVANÇO PARA A PARAÍBA.
http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=520494&ord=1