sábado, 21 de junho de 2008

AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS ...E SUAS CAUSAS NATURAIS.






VEJA VÍDEOS SOBRE ATIVIDADES VULCÂNICAS...

E FORMACÃO DA TERRA:
http://www.youtube.com/watch?v=VmaFkPW1CP8


AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS ...E SUAS CAUSAS NATURAIS.


DEGELO NA ANTÁRTIDA :

VULCÃO SERIA RESPOSÁVEL POR DERRETIMENTO
Quirin SchiermeierNature


Cientistas localizaram um vulcão ativo por sob o gelo da Antártida, e constataram que sua mais recente erupção aconteceu há apenas dois mil anos. O ponto se localiza por sob a região da ilha Pine, na crosta de gelo oeste da Antártida, porção do território na qual o derretimento das geleiras vem acontecendo em ritmo mais rápido do que em qualquer outra área do continente. A dramática descoberta pode ajudar a explicar as causas dessa perda especialmente rápida de gelo.Ainda que a concepção mais comum sobre a Antártida seja a de uma plácida imensidão gelada, os cientistas sabem que o continente abriga diversos vulcões ativos, alguns dos quais expõem suas porções superiores por sobre o gelo.

O monte Erebus, localizado na ilha Ross, em meio ao mar de Ross, é a o mais famoso dos vulcões antárticos ativos, e sua atividade contínua está em observação desde a década de 70.Essa atividade vulcânica já havia levado alguns geólogos a suspeitar de que vulcões operando sob a camada de gelo poderiam afetar seu derretimento e o fluxo do gelo no continente, mas não existia confirmação quanto a isso até o momento.

Hugh Corr e David Vaughan, do projeto britânico de pesquisa antártica, sediado em Cambridge, no Reino Unido, analisaram dados obtidos por observação aérea via radar da área, três anos atrás, e ficaram espantados ao identificar um sinal excepcionalmente forte de reflexão de radar proveniente de uma camada de média profundidade da crosta de gelo - um ponto que oferecia reflexão de radar mais forte do que a do leito rochoso abaixo.

A única explicação válida para o resultado é que o gelo contivesse uma camada de cinzas geradas por erupção vulcânica recente, eles concluíram em artigo para a Nature Geoscience.

"O achado criou certa sensação", diz Karsten Gohl, geofísico do Instituto Alfred Wegener de Pesquisa Polar e Marítima, em Bremerhaven, Alemanha. "Nós suspeitávamos que existisse atividade vulcânica na região, mas não dispúnhamos de provas sólidas."

A equipe de cientistas britânicos estima que entre 0,019 e 0,31 km³ do material conhecido como "tephra" - fragmentos soltos de cinza vulcânica - tenham sido emitidos em uma erupção acontecida por volta do ano 325 AC. "Essa foi provavelmente a maior erupção vulcânica na Antártida ao longo dos últimos 10 mil anos", diz Vaughan.

"Ela deve ter aberto um imenso buraco na camada de gelo e gerado uma pluma de cinzas e gases com altura de 12 km." As cinzas, depositadas sobre uma área mais ou menos equivalente à do País de Gales, teriam sido posteriormente soterradas por nevascas sucessivas. A equipe determinou a data da erupção modelando o ritmo pelo qual a neve poderia ter se acumulado sobre as cinzas, e estudando a profundidade do gelo presente por sobre a cinza hoje.

A estimativa quanto à dimensão das erupções é provisória e não tem bases muito firmes, admitem os cientistas. "Trata-se apenas de nosso melhor palpite", afirma Vaughan. "Um dia espero que possamos perfurar o local até a profundidade necessária a comprovar a avaliação."Outras erupções vulcânicas acontecidas sob a camada de gelo também poderiam ter surgido recentemente na região, mas seria difícil localizar indícios. A maior parte das camadas de cinzas teriam sido carregadas para o mar devido ao rápido recuo do gelo antártico.

Gohl diz que os planos para uma expedição que ele conduzirá ao oeste da Antártida em 2010 incluem uma busca por traços de material vulcânico nos sedimentos oceânicos.

Mundo quenteA geleira da ilha Pine está sofrendo uma redução de tamanho da ordem de 1 km ao ano, e também está perdendo espessura à razão de alguns metros anuais, com o influxo das geleiras derretidas em direção ao mar. Na improvável hipótese de que todo o gelo dessa imensa região gélida se derreta, o nível dos oceanos do planeta subiria em 15 m.

Os cientistas acreditam que a maior parte do degelo da camada glacial esteja acontecendo como resultado do aquecimento da água dos oceanos, que acelera o derretimento dos icebergs.Mas a existência de atividade vulcânica nessa porção da Antártida ocidental significa que o calor geotérmico, que aquece as geleiras de baixo, também poderia desempenhar papel importante no rápido derretimento registrado no local. "Uma condição muito básica - a temperatura encontrada por sob as geleiras - mudou, depois dessa descoberta", diz Sridhar Anandakrishnan, glaciologista da Universidade Estadual da Pensilvânia, em University Park. "Quem quer que deseje modelar o fluxo de gelo do oeste da Antártida, no futuro, precisa levar esse novo dado em consideração."

DIANTE DESTE MATÉRIA POSTADA ACIMA...ENTÃO, VEJA COMO "O VULCANISMO"... PROVAVELMENTE, INFLUÊNCIA O CLIMA DA TERRA...



"EL NIÑO" E SUAS POSSÍVEIS "CAUSAS"...





"El Niño", fenômeno geofísico, localizado no litoral Peruano, que aquecem as águas do Oceano Pacifico, de moderado a severo, de tempo e tempo. Que considero ser um dos fatores climatológico mais relevante e determinante do comportamento do clima da terra, pois, quando se faz previsões de secas para o próximo ano,e/ou anos subseqüentes, para todas as regiões semi-áridas da biosfera terrestre, são devido, ao El Niño, ou seja, são causadas pelo o El Niño, e mesmo assim, a ciência Meteorológica, ainda desconhece a sua causa.

E como se sabe, para todo efeito existe uma causa. Não se concebe que um fenômeno geofísico tão determinante da climatologia terrestre seja desconhecido sua causa. Entretanto, só se combate se previne ou pelo menos ameniza os efeitos, conhecendo-se as causas. Um exemplo bem prático disto é na medicina, em que, para se tratar e/ou curar uma determinada doença, será preciso, primeiro se conhecer as causas (diagnóstico) desta doença. Isto, no entanto, é o principio básico, a relação causa e efeito de todo conhecimento científico.

Portanto, é inconcebível, desconhecer esta causa. Que, aliás, além disto, que é mais intrigante, é que com aquecimento dessas águas do Oceano Pacifico localizado no litoral Peruano, obviamente, suscitando intensa evaporação, pois, como por exemplo, em Lima sua capital,aumenta consideravelmente seus índices de chuvas. Enquanto que, apesar dessa já mencionada intensa evaporação, provocada em período de El Niño, e por que, no invés de levar "Umidades"(vapores de água) para as regiões semi-áridas(Nordeste do Brasil, Indonésia e Austrália Setentrional), leva aridez(clima seco) para essas citadas regiões? No caso especifico do Semi-Árido do Nordeste do Brasil, pergunto, são desconhecidas essas causas?


No caso da Indonésia e Austrália Setentrional, ao meu vê, são devido à existência de inúmeros de vulcões continentais, neste mencionados países, que simultaneamente, nos períodos da ocorrência do El Niño, supõe(grifo meu), que seja devido à ocorrência de atividades de cadeias de vulcões neste já propalado litoral peruano, enquanto que, na Indonésia e Austrália Setentrional, nos seus referidos vulcões continentais, não ocorrem uma atividade plena de seus vulcões, aonde não são expelidos lavas, entretanto, devem ocorrem semi-atividades, aonde são expelidos gases hidrocarbonetos halogenados, altamente quentes, que são levados a aquecerem a suas troposfera(camada de condensação das chuvas), pelo visto, dificultando, suas formações de chuvas. Deve-se ressaltar que a ciência geológica defende a tese de que El Niño é provocado devido ao deslocamento das placas tectônicas, que, por sua vez, através de suas fissuras, liberam gases altamente quentes do magma vindo do interior da Terra e/ou por atividades (erupções) de cadeias vulcânicas submersas no Oceano Pacífico ocidental, localizadas na costa do litoral peruano.


É mais do que lógica esta tese, do contrário como se explicar o aquecimento dessas águas? Alguns meteorologistas atribuem o aquecimento dessas águas aos ciclos de manchas solares que ocorrem no intervalo de 12 em 12 anos. Para o melhor esclarecimento: manchas solares são grandes atividades de explosões nucleares e, em conseqüência disto, o Sol emite maior intensidade de calor para o seu sistema solar. Porém, não justifica que só aqueça o local do El Niño, pois as manchas solares, por pequenas que sejam, são bem maiores que o planeta Terra. E afinal, o que significa o El Niño? Na terminologia da palavra, significa o Menino Jesus. Devido, na ocorrência deste fato, essas águas oceânicas do pacífico ficam tão aquecidas, que grandes quantidades de cardumes de peixe, vêm à tona. Em decorrência disto, facilita a sua pescaria, e que também provoca uma grande mortandade de peixes. Isto, no entanto, para os pescadores peruanos, é considerado como se fosse, uma Graça de Deus. Pois, neste período da ocorrência do El Niño, no Peru, país da América do Sul, aumenta substancialmente a produção do pescado em tonelada/peixe e que até mesmo chega a exportar...

Pois, os plânctons, algas(flora marinha), vem a tona levando, simultaneamente grandes cardumes de peixes, decorrente do superaquecimento dessas águas na plataforma dorsal deste mencionado oceano. Então, com se vê, existe uma cultura do povo peruano, concernente ao El Niño, que a ciência meteorológica, usou-se deste termo El Niño, para classificar os períodos de estiagens nas diversas regiões da biosfera terrestre(Semi-árido Brasileiro, Indonésia, Austrália Setentrional, entre outras), como períodos de El Niño....Na ausência do El Niño, segundo, os meteorologistas, vem atuar o "La Nina", em toda sua plenitude, que são chuvas causadas por convergências de umidades intertropicais, decorrentes da intensidade do calor da estação do verão, onde atua o Vórtice (redemoinho) de convergência intertropical, somatizadas com incidências de frentes frias. Agora, que considero uma classificação descabida, de se classificar a estação chuvosa(dentro da normalidade) das regiões semi-áridas da biosfera terrestre, de "La Niña", em uma convenção, mal colocada, pois, não existe, em nenhuma parte do mundo, culturalmente falando, a cultura do La Niña, a Menina Jesus...


Deixando este fato e/ou outras conjeturas de lado, retornemos de fato(segundo, meu ponto de vista) para a essência do El Niño. Por ser a principal, causa na formação de secas, a todas as regiões semi-áridas da biosfera terrestre... Por outro lado, provoca enchentes no sul e sudeste do Brasil, e como também, fortes chuvas no Alasca e no Canadá... Será que essas fortes chuvas no Alasca e na Canadá, são decorrentes do El Niño? Ou é, devido, das atividades vulcânicas submersas no oceano pacífico, próximas a esses países?...Deixando as águas marítimas dessas localidades(Alasca e Canadá), susceptíveis a intensa evaporação, que por via de conseqüência, formando chuvas. Em qualquer, quadrante da biosfera terrestre quer seja no Hemisfério Sul e no Norte, as chuvas são formadas, por convergências de umidades intertropicais e/ou por frentes frias. Naturalmente, as umidades intertropicais e as frentes frias, são formadas, basicamente, por estações de calor, principalmente, no verão, nos seus respectivos hemisférios.Entretanto, segundo, meu ponto de vista, as atividades vulcânicas submersas nos mares e oceanos, vem aquecer as águas marítimas e oceânicas. Corroborando em parte, na evaporação das umidades intertropicais e formação de frentes frias. Já as "semi-atividades vulcânicas,", pois, não expelem lavas, só gases(ar quente e seco), que circundam os continentes, dissipam as condições favoráveis à formação de chuvas... Pois, o ar quente e seco, oriundo do interior dos vulcões em atividades ou não, chegando ao meio ambiente das regiões semi-áridas, aquecem a camada fria da troposfera., que funcionaria, como camada de condensação das chuvas...


Não é a toa, que no Deserto de Atacama:




No Chile, na vila de Calama, não chove a séculos... Pois, o deserto de Atacama, fica bem próximo de uma cadeia de vulcões no litoral chileno e como também, devido à Cordilheira dos Andes, obstruírem o avanço de umidades para o interior deste mencionado País. Estudando o "Vulcanismo":





Se vê que existem inúmeros vulcões submersos nos mares, e principalmente, em todos os oceanos(Pacífico, Atlântico e Indico)da hidrosfera terrestre, afora os vulcões que circundam os continentes. Na América do Sul ocidental, desde seu extremo sul, na Patagônia Chilena até o seu extremo Norte, na Colômbia na divisa com a América Central no Panamá. Não é diferente também, desde o extremo sul da América Central Ocidental até extremo norte da América do Norte, divisa com circulo polar ártico.Principalmente, na Indonésia, que é plenamente, circundada por vulcões. Por falar na Indonésia, na literatura da "Ciência Meteorológica, diz, que os períodos de estiagens(secas) na Indonésia e regiões circunvizinhas, como por exemplo, na Austrália setentrional, decorrem devido ao El Niño". Mas, entretanto, são, mais, decorrentes, das atividades dos vulcões, que circundam a Indonésia, Liberando gases quentes e secos para o clima da Indonésia, dissipando as possíveis formações de chuvas.

DO ESCRITOR:
PEDRO SEVERINO DE SOUSA
PATOS(PB), 21.06.2008






5 comentários:

Guaraci disse...

Guaraci 05/12/08 (Santos,SP) parabens pela materia,gostei muito e hj mesmo na parte da manhã wtava falando sobre os vulcão da ilha Pine na Antardida q esta fazendo com q o degelo aumete.

Lih disse...

Muito legal a sua materia......

kiyo.usagi disse...

ADISFJPDSFGUODSHGPODFSUGHD DEGELO NA ANTÁRTICA? COM URSO POLAR
PORRA ESSE BLOG É UMA MERDA apfoadisufhdsoifuasdf

maristela_hubnerpcta disse...

gostei do texto

feira_ciencias_2 disse...

caramba aprende a fazer um blog mais legal. kkkk